MÉDICO

 

VIDA PROFISSIONAL
Uma longa e profícua vida profissional

 



 Percurso académico

Desde muito jovem Manuel Neves-e-Castro ambicionava seguir uma carreira universitária, que era a que mais e melhor permitiria atingir os seus objectivos. Inspirado pelo exemplo de seu pai, professor catedrático de Medicina Veterinária na área da reprodução, para ela se preparou intensamente nas vertentes científicas, clínicas, sociais e internacionais, incluindo a participação em muitos congressos e cursos internacionais como forma de aprendizagem.

Começou por ser assistente de Química Fisiológica (FML), onde instalou novas técnicas de imunoelectroforese, depois de um estágio no Instituto Pasteur de Paris como bolseiro do Instituto de Alta Cultura. Trabalhou no Instituto de Óptica (Sorbonne, Paris), onde instalou uma nova aparelhagem que idealizou para o registo dos espectros de emissão da fluorescência dos tecidos, facto que lhe permitiu investigar os deciduomas traumáticos do útero da coelha, que preparava no College de France (Paris) e constituía o tema da sua tese de licenciatura.

Candidatou-se a uma Bolsa de Estudo da Fundação Calouste Gulbenkian, que lhe foi concedida para trabalhar nos EUA, tendo sido o primeiro bolseiro médico enviado por aquela instituição para esse país. Foi admitido como “Research Scientist” na Worcester Foundation for Experimental Biology, onde trabalhou sob a orientação dos Profs. Ralph Dorfman (Bioquímica dos Esteróides), Gregory Pincus (o “pai” da pílula contraceptiva) e M.C.Chang (o “pai” da fecundação in vitro). Frequentou na Universidade de Clark o curso de Bioquímica dos Esteróides, organizado em colaboração com o NIH.

Em seguida foi admitido na Graduate School of Medicine da Universidade de Pensilvânia (Filadélfia), onde concluiu com a mais alta classificação o curso de especialização de Obstetrícia e Ginecologia. Antes do seu regresso a Portugal visitou e realizou curtos estágios nas principais clínicas dos EUA, onde se informou das investigações em curso e estudou os programas de ensino da sua especialidade.

 

 

Gosto pela investigação

Quando voltou para Portugal fez contactos com a FML no sentido de ingressar na carreira académica. A Fundação Calouste Gulbenkian (FCG) estava disposta a conceder as verbas necessárias para a criação de um laboratório de investigação logo que fosse nomeado Assistente da Cadeira de Obstetrícia e Ginecologia. Por estranho que pareça tal nunca viria a concretizar-se: a Faculdade faria a nomeação depois de receber o subsídio da Fundação e esta só o concederia após a nomeação para Assistente.

Manuel Neves-e-Castro resolveu não perder mais tempo e voltou-se para o Instituto Português de Oncologia (IPO), para o qual fora convidado pelo Prof. Francisco Gentil. Aí ingressou na Consulta de Endocrinologia, onde trabalhou com o Prof. Luís Silveira Botelho. Mais tarde criou uma Consulta de Ginecologia Endócrina, onde realizou trabalhos de investigação e recebeu jovens médicos interessados por essa matéria, entre os quais se destaca o Prof. Luís Gonçalves Sobrinho, que orientou nos seus primeiros passos, contribuindo para a sua ida para a Universidade de Yale onde viria a fazer a sua tese de doutoramento.

Orientou também várias teses de licenciatura. Recebeu a visita de investigadores americanos, que consigo colaboraram em vários estudos, e organizou um simpósio internacional sobre “Pituitary-Ovarian Endocrinolgy”, que viria a publicar nos EUA, editado em colaboração com o seu antigo Mestre Prof. Ralph Dorfman. Mais tarde verificou com satisfação que este livro era recomendado aos alunos pelo Prof. Raymond Vande Wiele, na Universidade de Columbia, em Nova Iorque, tendo em vista o elevado prestígio dos autores e pelo facto de, à data, haver pouca bibliografia sobre a matéria. Obteve um subsídio de uma indústria americana, que lhe permitiu instalar e equipar um laboratório de investigação de endocrinologia no IPO.

 
junte-se a nós